segunda-feira, 28 de março de 2011

Líbia: O desafio de permanecer fiéis à utopia do Reino de Deus e sua justiça!

0 comentários
Por Frei Altamiro

Nós Discípulos do Cristo temos que nos manter fiéis à UTOPIA do Reino de Deus e sua Justiça num momento em que grande parte da Mídia quer nos encurralar no dilema:

"Ou apóia a intervenção militar da França, Inglaterra, USA et caterva ou apóia a cruel Ditadura de Kadafi!"

Nem uma, nem outra!

Diante de um regime autoritário e violento a solução não é uma violência maior, mas a força da não-violência ativa!

Enfrentamos e vencemos no Brasil uma Ditadura (1964-1985) de 21 anos. Também no Uruguai, Argentina, Chile e Paraguai.

Estamos agora empenhados em construir a Democracia.

A ditadura se implantou e tentou se impor pela violência das armas. Foi vencida e a democracia está sendo construida pela força popular, sem violência! Estamos irmanados e solidários com o Povo Líbio no seu esforço de vencer uma ditadura e construir uma democracia, mas sem a violência das armas que muito interessa à globalizada Indústria Bélica. Acertadamente diz a sabedoria africana: "QUANDO OS ELEFANTES BRIGAM A GRAMA SAI AMASSADA!"

A UTOPIA do Reino, que norteia o horizonte do Ser e Fazer dos Discípulos do Cristo, é muito clara:
"Não matarás!" (Gênesis,4 - história de Caim e Abel)

"Amai os vossos inimigos; fazei o bem aos que vos odeiam e orai pelos que vos perseguem e caluniam, a fim de serdes filhos do vosso Pai que está nos céus e que faz se levante o Sol para os bons e para os maus e que chova sobre os justos e os injustos. - Porque, se só amardes os que vos amam, qual será a vossa recompensa? Não procedem assim também os publicanos? Se apenas os vossos irmãos saudardes, que é o que com isso fazeis mais do que os outros? Não fazem outro tanto os pagãos?" (S. MATEUS, cap. V, vv. 43 a 47.)

Por isso a guerra, seja qual for até mesmo as Cruzadas, não cabem na pauta do Cristo e seus Discípulos. Exército, Marinha, Aeronáutica e todo o aparato das Forças Armadas, inclusive as Capelanias Militares, não seguem o Espírito daquele que ressucitou Jesus dentre os mortos.

Ele disse:

" Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida!"(João 14,6)
" Deixo-vos a paz; dou-vos a minha paz. Não vo-la dou como o mundo a dá ... " (João 14,27)

Com Francisco de Assis rezemos;
"Senhor, fazei de nós um instrumento de vossa Paz!"

Frei Alamiro
Coordenador Nacional do SERPAJ-Brasil


0 comentários:

Postar um comentário