sábado, 12 de março de 2011

Sucessão na SUFRAMA: enigma ou jogo de xadrez

0 comentários
Dia 28 de fevereiro de 2011, a Zona Franca de Manaus completou 44 anos, as empresas instalada no DI comemoraram os U$ 35.1 Bilhões de dolares e a atual Superintendente da SUFRAMA, poluiu a cidade com outdoors com slogan apontando subliminarmente para sua permanência a frente da autarquia. Parece que a Senhora Groso, quer seguir o mesmo caminho do Berinho, se eternizando a frente da instituição! Mas, com a enxurrada de processos judiciais que ela vem acumulando, fica cada vez mais insustentável sua pretensão.

A sucessão na SUFRAMA nos últimos tempos passou a ser um verdadeiro tabuleiro de xadrez, onde todos os políticos jogam com o bispo na tentativa desesperada de dar o xeque-mate no Presidente de plantão no Palácio do Planalto, para emplacar seu pupilo (comissão...) no comandando desse fabuloso orçamento.

O Senador Eduardo Braga quer a qualquer custo a permanência de Flavia Grosso, parece que ele deseja ver essa Senhora sangrar insistindo com ela a frente da autarquia. Não é possível que a Presidente Dilma venha desafiar a Justiça atendendo a ordem do Senador!

Acontece que se essa infâmia vier ocorrer, será muito ruim para os destinos do parque industrial de Manaus e os Trabalhadores que disputam os empregos por ele oferecido, sobre isso basta consultar a história e constatar que toda vez que Superintendentes envolvidos com indícios de escândalos permaneceram comandando a instituição, muitas empresas aqui instaladas deixaram de investir ou até encerraram suas atividades no DI, Outras que já tinham projetos aprovados pelo Conselho da SUFRAMA, simplesmente deixaram de se instalar, em razão da insegurança que um superintendente transmite por falta de autoridade moral, devido sua condição de réu em processos judiciais. Foi assim com o escândalo do: colarinho verde, do açúcar...

Nessa louca corrida, o PT, Partido da Presidente, segue dividido entree Alberto Machado, Sinésio Campos e Marilene Corrêa, esta ultima, conta com a benção do Senador Alfredo Nascimento. Nessa briga de bastidores, ganha força na corrida as candidaturas dos representantes dos Estados do Acre, Roraima e Amapá, já o Estado de Rondônia até agora não manifestou sua preferência.

Se o critério fosse por meritocracia, Marilene que já foi preterida pela Presidente Dilma na corrida para o Senado, já seria a Superintendente, não restam duvidas que ela tem o melhor currículo, no entanto, a indicação segui um ritual que vai da discrepância ao macabro, isso pode surpreender até mesmo os melhores amigos do poder.

0 comentários:

Postar um comentário