sábado, 2 de abril de 2011

A tarefa de depor Kadaf é do próprio povo líbio!

0 comentários
Falando,nesta sexta feira 01 de abril, para um grupo de jovens do Movimento Terra de Deus, Terra de Todos, o coordenador do SERPAJ-Brasil, Rosalvo Salgueiro, alertou para a manipulação dos meios de comunicação a serviço da hegemonia dos governos que por seu poderio bélico e econômico se consideram a polícia do mundo e de modo imperialista se impõem a todos.

A tarefa de depor o ditador Kadaf é do povo líbio que pode e deve receber apoio solidário, político e até estratégico das organizações populares e de Direitos Humanos de todo o mundo.

Não podem, porém, receber ajuda militar em homens, máquinas e armamentos de governo algum, principalmente das potências, sem ferir mortalmente a legitimidade de sua luta. Se aceitar tal auxilio estarão vendendo soberania e a independência do governo que vierem a construir.

As potências que agora agem tão ferozmente contra o ditador Kadaf eram seus sócios e lhe propiciaram apoio e sustentação política e militar, tudo em razão do petróleo que há no solo líbio. É de se perguntar: Por que não agem de igual forma “humanitária” contra os demais ditadores que sustentam no próprio mundo árabe e africano?

As bombas da OTAM são tão mortíferas quanto as armas de Kadaf, e igualmente injustas, não é verdade que atingem apenas alvos militares, há sobejos e confiáveis relatos de ataques a hospitais, escolas, igrejas e outros lugares onde sabidamente se abriga a população civil.

A propaganda e a contra informação da OTAN e aliados tentam nos fazer crer que eles são anjos que vêm em socorro de pobres, crianças e mulheres que estão sendo massacrados, e tentam colocar o resto do mundo diante do dilema: ou apóia a ação intervencionista ou apóia Kadaf. Nada mais falso, é possível sim apoiar o povo em sua luta pela Paz e Justiça!

Devemos apoiar as iniciativas diplomáticas propostas pela Alemanha e outros países para o conflito agora colocado, e, continuar apoiando os líbios em sua luta para superar as condições de miséria e intimidação em que vivem, e ajudá-lo a construir uma nova Líbia, livre, independente, fraterna e solidária.

Ao encerrar sua fala, Rosalvo distribuiu o texto de uma resposta que mandou à organização de solidariedade internacional Avaaz, que segundo avalia, está equivocada e acaba por prestar ajuda às potências na sua propaganda de “bom mocismo”.

Queridos amigos do Avaaz,

Salve!

Eu tenho acompanhado e participado de exatamente todas as solicitação de vocês, porém não posso concordar com a manipulação e as atrocidades que a França, a Inglaterra, os USA e a OTAN vem praticando na Líbia.

Apoiei e apoio decididamente as manifestações e a luta não-violenta do povo líbio contra o ditador Kadaf, porém ao ver que os tais "rebeldes" tinham e têm até artilharia antiaérea vi que já não se trata de desobediência civil, mas de guerra civil, e não tenho dúvidas que esta é patrocinada pelas "potências ocidentais" e a motivação é de ordem econômica, estratégica e geopolítica, nunca humanitária em favor do povo líbio, como tentam fazer parecer.

Ao se engajar de modo tão acrítico e parcial nesta peleja, a Avaaz compromete sua política e se torna mais uma arma dos que não respeitam a autodeterminação e a soberania do povo líbio.

Por favor, reflitam, pois sempre considerei vocês uma das mais importantes ferramentas da luta dos pequenos em defesa dos Direitos Humanos, da Justiça e da Paz.

Fraternalmente,

Rosalvo Salgueiro

0 comentários:

Postar um comentário