sábado, 26 de novembro de 2011

"É fundamental que haja uma autoconvocação da sociedade contra a corrupçã, Afirma Lucidia Batista

0 comentários



A ex-secretaria, que pretende na próxima eleição ser candidata a prefeita de Juruti pelo PMDB, disse que hoje existe um "descolamento" entre a representação política e o cidadão, que por não querer mais ser um "espectador da política" tem ido às ruas para protestar. Ela citou como exemplo manifestação em Brasília, que reuniu mais de 30 mil pessoas no dia 7 de setembro deste ano. 

Lucidia também falou sobre sinais de falta de credibilidade da sociedade com os partidos políticos. De acordo com ela, as siglas deixaram de ser um espaço para discussão de idéias e propostas. "Não é que tenhamos de desqualificar as instituições, os partidos, só por desqualificar. É que, na maior parte, eles foram transformando em projetos de poder pelo poder", explicou. "A juventude sente o cheiro do sonho, da esperança, daquilo que precisa de investimento, de energia, de utopia para se mover. E os partidos se tornam conservadores e estagnados, quando os jovens já não querem saber deles". 

Entre os partidos "conservadores", Lucidia incluiu o PT. "O PT infelizmente tornou-se um partido conservador", afirmou. "A gente se transforma em conservador quando fica fazendo apenas o senso comum para manter só o que já existe e não se dispõe mais ao imprevisível".

Para Lucidia, existe no pensamento popular, uma serie de coisas que os protagonistas da política precisam responder como promover a evolução econômica, social, cultural, ética, política e estética fisiográficas. Ela traduz esse pensamento em sete definições que denomina de pilares da sustentabilidade.

Veja abaixo a entrevista onde a ex- secretária define os sete pilares para Sustentabilidade.

Lucta Social – Sustentabilidade econômica, Juruti precisa de novas alternativas econômicas, como solucionar esse problema?

Lucidia Batista - "Transformar as vantagens comparativas em vantagens competitivas. Precisamos ser capazes de transformar os recursos naturais e os bens e serviços que produzimos em melhoria da qualidade de vida das pessoas, em saúde, educação, entretenimento, vida digna e plena para as pessoas. Enfim, um mundo melhor de viver. A posição geográfica de Juruti é um privilégio, podemos melhorar nossa agricultura para aproveitar o mercado das maiores cidades da região, até mesmo aprimorar nossa logística para abastecer a Cidade de Manaus no Amazonas, é papel do governante buscar alternativas que impulsione a produção dos seus munícipes, vamos potencializar nossa produção agrícola"

Lucta Social - Sustentabilidade social, qual providencias serão necessária para garantir inclusão e espaço para os menos favorecido ascenderem socialmente?

Lucidia Batista - Equilibrar os princípios de equidade, buscando fazer com que a vida de todas as pessoas possa ser digna de ser vivida. A definição de políticas publica que garanta as pessoas inclusão na vida econômica do Município, reorientando o atendimento à saúde, aperfeiçoando a rede escolar, organizar sistemas compartilhados de geração de renda, estimular o profissionalismo através de programas educacionais específicos para atender as demandas hoje existentes e as que vierem surgir, não é possível ver a sustentabilidade sem atenção total a educação seja na primeira idade, onde a educação infantil é dever dos Municípios desde 2008, como na educação profissional onde os adultos precisam estar preparados para enfrentar o mercado de trabalho, por fim, a educação no campo da ciência e tecnologia, Juruti precisa garantir aos seus filhos condições para ascenderem as Universidades!"

Lucta Social – Sustentabilidade cultural, Juruti vai dar mais ênfase as suas manifestações culturais ?

Lucidia Batista – "Se nós não formos capazes de ter um modelo de desenvolvimento que preserve a diversidade, temos um problema. Não há inovação na mesmice, só há inovação na diversidade. Sem ela, entramos em erosão cultural. Hoje temos um dos maiores Festival da Amazônia, essa é uma marca que precisa ser divulgada com maior amplitude, nas comunidades o Município precisa dar maior atenção as atividades culturais dessas localidades, não pode o governante definir as manifestações cultural de um povo, mas, é dever potenciá-las garantindo a logística necessária as suas realizações"

Lucta Social - Sustentabilidade ética, quem deve ser os protagonistas?

Lucidia Batista – "Nós, somos seres que nos importamos uns com os outros, com os que estão aqui e com os que virão no futuro. Isso se chama laço social ou aliança intergeracional. Isso não se resolve na técnica, isso se resolve na ética. Se eu não me importo com os que ainda vão nascer, eu vou destruir os recursos de milhares e milhares de anos pelo lucro de apenas algumas décadas. Isso é o fim da espécie humana, portanto é preciso aprimorar a governança, garantir aos cidadãos mecanismos de controle social, instituir na administração o instituto do controle interno, garantindo a sociedade local transparência em todos os atoas"

Lucta Social - Sustentabilidade política, qual o papel da comunidade?

Lucidia Batista – "Tem a ver com o que estamos fazendo aqui. As pessoas estão reunidas, debatendo, tentando criar uma maioria, um espaço de convergência para que todos nós possamos nos movimentar numa outra direção. Se os recursos naturais são finitos, nós temos que trabalhar no sentido de que cada vez se produza mais com um menor volume de recursos naturais. Não tem um salvador da pátria. Não será a Lucidia, não será Henrique, Marquinho e Otavio. Seremos nós, que temos que assumir isso como um valor. Nós geralmente queremos terceirizar os problemas. A gente gosta de se enganar. A gente quer que alguém prometa que vai resolver o problema da corrupção. Lamento, mas a corrupção não é um problema do Governo do PT. A corrupção é um problema nosso. Isso é a sustentabilidade política. Enquanto a corrupção for um problema do PT, teremos corrupção. Quando virar um problema nosso, pode ter certeza de que haverá uma qualidade para as instituições. A construção da governança, passa pelo comprometimento de todos nós que pertencemos a essa comunidade, é nosso papel ser vigilante do gestor publico, contribuindo com nossa opinião quando entendermos que ele está saindo dos interesses que o confiamos"

Lucta Social – Sustentabilidade Fisiográfica e estética, É possível deixar de aterrar e poluir rios?

Lucidia Batista – "Algumas coisas têm valor simbólico e não puramente econômico. O Lago do Jára, A Ponte, o Fifi pode não ter nenhuma liquidez, mas nenhum de nós vai deixar destruir para virar brita. Isso é sustentabilidade estética. O espaço que esse lugares ocupam em nossas retinas e mentes, mostra claramente que eles precisam de melhor cuidado, um rio uma grota podemos até transpomos com uma ponte, o que não podemos e aterrá-los ou poluí-los, são vidas que precisam ser preservadas, então o que fazer? É preciso disciplinar a construção de empreendimentos imobiliários nas suas margens, hoje existe tecnologia que garante o tratamento de efluente, evitando que os dejetos sejam jogados nos leitos de rios, são essas formas tecnológicas que servirão de marco regulatório desses espaços."

0 comentários:

Postar um comentário