quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Índios inovam no jornalismo e trazem a arte tradicional para o design em Campo Grande

0 comentários
Topo Jornal A Voz Indígena, projeto de TCC do acadêmico Terena.
Amanhã, dia 18, o indígena da etnia Terena, Sidney Albuquerque, traz a público a etapa inicial de um sonho que o motivou a estudar jornalismo. Junto ao colega Rudney Ramos, ele apresenta o trabalho de conclusão de curso, uma pesquisa que resultou no Jornal A Voz Indígena.

O jornal é um projeto inédito no estado, que os acadêmicos pretendem desenvolver após a formação. A primeira edição do tablóide traz um breve histórico das aldeias indígenas de Campo Grande, destacando Mato Grosso do Sul como o estado com a maior população indígena urbana do país. São quatro aldeias, totalizando cerca de 15 mil pessoas.

Nascido em Aquidauana, Sidney mora na aldeia urbana Marçal de Souza e faz parte de mais de 700 índios que estão nas universidades do estado, nos mais diversos cursos, segundo estimativa do projeto Rede de Saberes, que está realizando um levantamento. Sidney quer trazer a sociedade campo-grandense um olhar diferenciado sobre os indígenas e também outra voz, como aponta o nome do jornal. “A mídia não mostra muitas coisas interessantes que acontecem entre os indígenas da capital e, por outro lado, pauta muitos assuntos negativos”, argumentou o acadêmico.

Outra acadêmica em um curso pouco procurado pelos índios é Benilda Vergílio, da etnia Kadiwéu, nascida na aldeia Alves de Barros, em Bodoquena. Ela cursa Design e contou que desenha principalmente as figuras de rosto e também faz roupas de amarração, como as usadas antigamente pelos Kadiwéu. As roupas e acessórios que a jovem produz têm baixo custo, porque ela usa também materiais recicláveis. “As pinturas que faço são as mesmas feitas pelos Kadiwéu para se diferenciar uns dos outros, quando guerreavam. Também fazem pinturas diferentes quando estão alegres, tristes ou quando morre alguém”, explicou. Benilda, disse que desde crianças já pintava e fazia roupas, mas com o curso tem aperfeiçoado o trabalho, por meio das técnicas que vem aprendendo. Ela já realizou desfiles em Campo Grande e em dezembro realizará mais um em Bodoquena, com apoio da prefeitura municipal.

A apresentação de Sidney será às 10h, em uma sala em frente ao anfiteatro da Biblioteca Pe. Félix Zavattaro, da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), localizada na avenida Tamandaré, nº 6000, no Jardim Seminário. A banca de Benilda não tem data definida, mas ela prestigiará a apresentação do colega de jornalismo.

Sidney Albuquerque em oficina de audiovisual
CONTATO
Caroline Maldonado
(67) 9945-9895
(67) 3312-3590
Twitter, Facebook, Orkut e You Tube

0 comentários:

Postar um comentário