segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Estudantes passam a noite presos e são algemados pelos pés e punhos por participarem de protesto

0 comentários

É preciso denunciar a repressão policial e a ditadura que existe por trás do regime supostamente democrático no País. Em protesto contra aumento da passagem, estudantes do Piauí são brutalmente reprimidos e para serem soltos assinaram documento em que são impedidos de participar de manifestações estudantis sob pena de ser presos novamente

16 de janeiro de 2012

Por Causa Operária - Os estudantes em Teresina, Piauí, realizaram nove manifestações contra o aumento da passagem de $ 1,90 para R$ 2,10. Como o tratamento dado em todas as manifestações pelo País, a PM agiu de forma truculenta reprimindo duramente os estudantes quando fechavam uma das principais avenidas de Teresina, a Frei Serafim.

Foram usadas balas de borracha, bombas de gás deixando muitos estudantes feridos.

Os protestos dos estudantes são contra a mudança com um sistema de integração que não contempla a população da cidade e aumento no sistema de transporte público da capital do Piauí.

Somente em um Estado onde todos os direitos políticos são suprimidos é que um cidadão está impedido de se manifestar contrário a uma lei ou defender uma determinada idéia.

A repressão a essa manifestação mostrou mais uma vez que não existe o tão falado “Estado de Direito”.

Leia trecho de depoimento para Causa Operária online de estudante presa no protesto:

“Passamos a noite presos, de manhã fomos novamente algemados pelos pés e punhos, colocados num "camburão" e transferidos sob um sol de 40º, para a "Penitenciaria Feminina e Casa de Custódia", local onde os marginais ficam esperando a sentença. Ficamos novamente em Pavilhões separados, o Pavilhão feminino e outro masculino, entre assassinas confessos, traficantes, ladrões. Entre as marginais fomos melhor tratados do que entre a maioria dos policiais. Na hora da Vistoria, nas celas, o terror é completo, os policiais aparecem mascarados, armados, com cacetes, fuzis e metralhadoras, tiram a roupa de todo mundo, batem em todo mundo, entram nas celas e destroem tudo que encontram, rasgam roupas, esparramam os míseros alimentos dos pobres presos, sujam tudo, ... e fazem isso gritando, berrando aqui é o inferno, com ameaças e todo o tipo de impropérios e palavrões. Hoje, as 17:00 horas os advogados, mais ou menos uns 20 advogados se colocando a disposição na defesa das prisões, conseguiram o "Alvará de Soltura (diante o pagamento de 12 mil reais ao todo,) ...repleto de cerceamentos aos nossos direitos democráticos dentre esses está escrito que não podemos mais participar de manifestações estudantis sob pena de ser presos novamente.”

Os acontecimentos na USP com a expulsão de estudantes, PM apontando arma para retirar manifestantes de um espaço estudantil, a brutal repressão no centro de São Paulo por causa da especulação imobiliária, assim com nas favelas do Rio de Janeiro, é um sinal de que existe uma ofensiva da burguesia contra os direitos da população.

É preciso denunciar amplamente o tratamento dado aos jovens em Teresina, revogar a punição pois eles possuem pela própria constituição nacional burguesa o direito de organização e expressão.

0 comentários:

Postar um comentário