segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Questão da Imigração e xenofobia no Amazonas

1 comentários


Nota à imprensa






Nós da ANEL - Assembléia Nacional dos Estudantes - entidade do movimento estudantil presente no Amazonas vem ao conjunto da sociedade se posicionar de forma solidária aos ataques políticos e sociais que vem sofrendo os imigrantes haitianos em Manaus. Fazemos isso por entender que são jovens e trabalhadores que tiveram um país que enfrenta neste ultimo tempo uma crise social e política.

Terremoto, Cólera, Ocupação militar e Fraude eleitoral é que coagem e reprimem os jovens trabalhadores daquele país os quais vivem com salário de R$ 135,00 que é sugado pela inflação em alimentos, transporte, habitação, e ainda existem um milhão desabrigados em acampamentos por conta do terremoto de 2010, quase nada foi reconstruído, o pior: tudo isso é garantido com ocupação militar que de paz só tem o nome, liderada pelo governo Dilma.

O Brasil é uma economia em crescimento, assim sendo um atrativo para muitos imigrantes. Mas um fato ignorado pelo governo Omar, que prefere alimentar com descaso esta questão. O Amazonas que ele governa tem uma imensa diferença econômica, entre a cidade e interior. Um exemplo disto, a própria cidade de Tabatinga, que recebe os imigrantes, que tem 50% da sua população dependendo dos programas de assistência social, uma cidade que tem um orçamento de somente Quatro milhões mensais sem qualquer auxilio dos governos Omar e Dilma.

Em meio as contradições que encaramos no Brasil e no Haiti também repudiamos as palavras de Mazé Mourão no texto “O Haiti não é aqui” onde usa o seu espaço na imprensa para construir de forma preconceituosa e estúpida através dos estereótipos a figura imigrante haitiano, como “Abusado”. Assim alimentando um sentimento que não é parte dos trabalhadores e movimento estudantil do Amazonas.

Por fim, acreditamos que o problema no Haiti precisa se resolvido pelos haitianos sem a Ocupação Militar do Brasil, conhecida com Musnitah que está lá para garantir que os empresários explorem o povo haitiano.

Assim reivendicamos:

• A retirada das tropas brasileiras do Haiti, uso do dinheiro na ajuda dos imigrantes.
• Reconstrução do Haiti, o país precisa de médicos, engenheiros, não de soldados.

Direção Regional da ANEL - AMAZONAS
anelivre.am@gmail.com – facebook: Anelivre Amazonas – Fone (92) 8432 9067 – www.anelonline.org

1 comentários:

Anônimo disse...

ta beleza realmente precisamos ser solidarios mas não podemos esquecer de nós amazonenses e que tambem precisamos de ajuda!!!

Postar um comentário