segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Dia 28 de Fevereiro – Dia Mundial de luta contra a LER/DORT em todo o mundo

0 comentários


“As organizações sindicais de luta, combativa e classista não podem ficar só nas denuncias, têm que ir para luta contra ás milhares de vitimas mutiladas e aleijadas pelo capital em nosso país”.

As centrais sindicais governistas; CTB, CUT, FORÇA SINDICAL que fazem parte do governo Dilma, pouco tem feito com relação às denúncias das péssimas condições de trabalho. Aliás, são os mesmos que hoje desfilam em convenções patronais junto com o presidente da federação das indústrias do estado de São Paulo (FIESP) Paulo Skaf recém filiado ao PMDB, partido aliado do PT, PDT e PC do B. Discutindo as reformas pra enfrentar a crise que com certeza vem com mais demissões e política de aumentar à exploração e os ataques a saúde dos trabalhadores.

Por dentro das fabricas a reestruturação da produção com o aumento da polivalência e dos ritmos da produção, as avaliações individuais, o sucateamento dos maquinários e a pressão da chefia por cada vez mais produção, junto com os programas de qualidade total tem levado os trabalhadores a uma verdadeira epidemia de doenças esqueléticas (LER/DOT), contraídas por muitos esforços repetitivos na linha de produção.

Junta a isso as doenças psíquicas devido ao assédio moral que tem levado ao stress, loucura e até ao suicídio de trabalhadores e trabalhadoras, para não falar dos acidentes do trabalho, muitas vezes com morte como o ocorrido no ultimo ano quando tivemos várias mortes só dentro das categorias onde existem militantes da CSP-Conlutas envolvidos, como ocorreu no dia 1º de fevereiro na AMBEV de Jacareí quando um trabalhador de 25 anos perdeu a vida.

Esta situação é agravada ainda mais quando sabemos que o INSS que deveria estar do lado dos trabalhadores na hora das pericias médicas viram as costas, muitas das vezes ficando do lado dos patrões, não concedendo o beneficio destas doenças como doença do trabalho, e os postos do Ministério do Trabalho que é dirigido pela Força Sindical, CUT e CTB. Órgão do governo federal nada faz para impedir que as empresas continuem realizando estes ataques contra a saúde do trabalhador e da trabalhadora.

Aliás, o INSS é atrelado ao ministério da previdência social que é dirigido pelo PMDB, o mesmo partido do presidente da FIESP que é aliado da CTB, CUT e Força Sindical, ou seja, o ministério do trabalho e da previdência social esta na mão dos patrões e seus aliados.

Neste sentido o dia 28 de fevereiro torna se para nós da CSP-Conlutas e das demais forças aliadas como a INTERSINDICAL, a Unidos pra Lutar e demais forças combativas e de luta que não tem o rabo preso com patrões e governos, essencial para denunciarmos e nos organizarmos para lutar contra as doenças do capital.

Vamos organizar atos e assembléias nas portas das fabricas e ocupar órgãos públicos como o INSS, Ministério do Trabalho e Ministério Público exigindo o fim dos abusos nas empresas que tem levado esta situação. Vamos a porta dos órgãos públicos exigir o reconhecimento da LER/DOT como B 91(Doença do Trabalho) e exigir que as demissões feitas pelas empresas de trabalhadores estáveis a exemplo do que ocorreu na GM de São José dos Campos e outras empresas sejam anuladas já.

Essas devem ser as nossas ações no próximo dia 28 de fevereiro, vamos lembrar a memória das vitimas da LER/DOT com luta e mobilização nesta data mundial.

*Joaquim Aristeu Benedito da Silva - É Um dos coordenadores do setorial de saúde do Trabalhador da CSP-Conlutas e militante do Bloco de Resistência Socialista.

0 comentários:

Postar um comentário