quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

SINPAF promove Oficina - Violação dos direitos dos trabalhadores de campo da pesquisa e do desenvolvimento agropecuário

0 comentários
O Sindicato Nacional dos Trabalhadores de Pesquisa e Desenvolvimento Agroflorestal (SINPAF) promove nesta quinta feira 09.02.2012, uma oficina com os dirigentes sindicais da região Norte com o objetivo de criar soluções e melhorias para as condições dos trabalhadores de campo da Embrapa, o evento terá inicio às 10h00min no auditório do Líder Hotel na Av. Sete de Setembro em Manaus(AM.

Oficina - Violação dos direitos dos trabalhadores de campo da pesquisa e do desenvolvimento agropecuário.

Objetivo - discutir metodologias e traçar estratégias para garantir os direitos dos trabalhadores
de campo.

Local - Hotel Líder(Av.Sete de Setembro
Data: 09/02/2012(quinta-feira)
Hora - 10:00 - 17:00 h

Maiores Informações – 9314 3529 - Simone Alves – Presidenta da Seção Sindical AM

Abaixo Nota do SINPAF...

Nota de esclarecimento da Seção Sindical Amazonas


Em relação à nota divulgada nesta sexta-feira (20/1) pela Diretoria-Executiva da Embrapa, a Seção Sindical SINPAF Amazonas esclarece que, na matéria intitulada “Trabalhadores são mantidos em situação análoga à de cárcere privado”, publicada em 13/1, o termo “análoga” é utilizado justamente para diferenciar a condição explícita de cárcere privado da de “similar por certo aspecto” – como define o dicionário Michaelis.

Se não esta, qual outra comparação poderia ser feita ante a situação de imobilidade e isolamento a que estão submetidos os trabalhadores do campo experimental localizado no Distrito Agropecuário da Suframa – DAS, obrigados a passar as noites entre segunda e sexta-feiras privados do convívio social e familiar, exercendo funções irregulares de vigilância, limpeza e cozinha por meio de coação, sem receber horas-extras e sem qualquer estrutura de atendimento médico?

Ao julgar “inadequada” e “desrespeitosa” a grave denúncia feita pelo sindicato, a diretoria da Embrapa revela sua insensibilidade e desprezo em relação à situação de degradação de seres humanos denunciada aos seus gestores. Ao classificar o fato denunciado pelo SINPAF de “demais afirmações”, rebaixando sua importância, a Diretoria – esta sim – se mostra desrespeitosa: revela preocupar-se menos com seus empregados do que com sua boa imagem na sociedade.

O SINPAF reafirma que a condição a qual aqueles trabalhadores são submetidos é, sim, análoga à de cárcere privado. Manteremos a postura que nos é exigida, de denunciar abusos para defender os trabalhadores, enquanto providências cabíveis não forem tomadas. SINPAF na Luta!

Seção Sindical Amazonas

0 comentários:

Postar um comentário