segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Três poemas operários aos trabalhadores da Zona Franca de Manaus:

0 comentários
Poeta Dori Carvalho
O poeta Dori Carvalho, declamou estes três poemas operários aos trabalhadores da Zona Franca de Manaus, na Greve dos Metalurgicos de 1985:

O CHEIRO DO POVO
O povo fede assim,
para que os senhores
possam cheirar bem,
o cheiro do povo
é o cheiro que vem dos senhores,
de suas minas, suas fábricas,
caminhões e máquinas,
para que os senhores possam
cheirar bem.

ENCHENTE
Como as águas desse rio
que correm para o mar
a liberdade, aqui,
um dia há de chegar.
espocando feito pororoca
arrastando o velho,
desaguando o novo,
inundando de alegria
a cara do povo.

AS TETAS DO POVO
Fiquem aí os senhores,
mamando nas tetas do povo,
enquanto o povo
mama nas tetas das pedras,
mama nas tetas da fome, cuidado!
Muito cuidado, senhores,
qualquer dia
as pedras viram armas,
qualquer dia
a fome vira raiva
qualquer dia
a casa cai.

0 comentários:

Postar um comentário