segunda-feira, 19 de março de 2012

PROTEÇÃO IMEDIATA PARA O ENCONTRO DAS ÁGUAS

0 comentários

No sábado (17), o Movimento S.O.S. Encontro das Águas voltou às ruas para gritar por proteção ao Encontro das Águas. Os militantes reclamam da omissão da superintendência do IPHAN, que não se mobiliza para garantir a salvaguarda desse patrimônio, que é um bem Tombado e, por isso, mereceria dos Agentes públicos determinação no cumprimento da norma. A omissão do IPHAN contribui para o avanço dos oportunistas que ocupam deliberadamente a área, que requer proteção da União. Reclama-se de imediato uma ação que identifique a extensão do Tombamento, informando aos moradores e empreendedores de bem sobre o território Tombado tanto à margem direita quanto à esquerda nas confluência dos Rios Negro com o Solimões.

Nem tudo está perdido. Na Justiça o Dr. Dimes da Costa Braga, que ainda não está convencido de que a pretensa construção do Porto da Valle vai impactar o paisagismo e todo o ecossistema do Encontro das Águas, designou peritos para averiguar a veracidade dos fatos. Este cumprimento legal, embora satisfaça o magistrado, retarda ainda mais a homologação do Tombamento do Encontro das Águas, inviabilizando a proteção integral desse bem. Sabe-se também que o IPHAN Amazonas resolveu contratar estudo para identificar as ameaças que pairam sobre o Encontro das Águas; pela metodologia da pesquisa, o trabalho deverá se prolongar por todo o semestre com resultado somente no final do ano. Mas, enquanto isso, o IPHAN Amazonas bem que poderia definir os marcos referenciais do Tombamento; poderia também imprimir folhetos para trabalhar o em torno, bem como, instituir um GT de Gestão baseado no IFAM - Campus Zona Leste - para definir junto com os comunitários uma política de gestão deste patrimônio agregando todas as forças que operam no polígono do Tombamento. Com a palavra a superintendência do IPHAN Amazonas, operando ação.

Fotos: Do pesquisador Valter Calheiros

Fonte: NCPAM

0 comentários:

Postar um comentário