terça-feira, 5 de junho de 2012

NO DIA INTERNACIONAL DO MEIO AMBIENTE

0 comentários

Nossas homenagens àqueles que não mediram esforços para garantir a preservação dos recursos naturais, fazendo valer o reconhecimento do Encontro das Águas como patrimônio cultural do povo brasileiro.

Por Núcleo de Cultura Politica do Amazonas – NCPAM   

A data foi proclamada pela Organização das Nações Unidas (ONU) para ser lembrada pelo mundo afora como dia de reflexão e de cobrança em defesa do meio ambiente limpo, saudável e protegido. O5 de junho passou a ser um marco significativo para todos que lutam em defesa da qualidade de vida no planeta. As celebrações no Brasil ganham corpo por se antecipar as manifestações da Rio+20, quando Sociedade e Estado deverão promover um amplo debate no Rio de Janeiro, retomando os feitos da Agenda 21, na perspectiva de se conferir o que realmente os governantes fizeram para o cumprimento do ordenamento da ECO-92. Sendo assim, deve-se cobrar do governo brasileiro como dos demais Estados signatários da ONU, o que realmente fizeram de concreta em favor das garantias ambientais tanto local como no mundo. Visto que, a governança ambiental é compartilhada, devendo ser pública e responsável salvaguardando a biodiversidade para a presente e futuras gerações.

O NCPAM que integra o Movimento S.O.S Encontro das Águas, desde 2008 vem lutando para garantir o Tombamento Definitivo do Encontro das Águas como patrimônio cultural do povo brasileiro. Nessa trajetória, junto com as demais instituições e representações comunitárias tem buscado superar graves problemas, a começar pelo governo do Amazonas que representou contrário ao Tombamento, manifestando seu apoio à construção de um terminal portuário no frontal desse ícone que é sem dúvida o cartão postal do Amazonas. A data é oportuna para também se homenagear aqueles que muito contribuíram para a sustentação do reconhecimento do Encontro das Águas do patrimônio do nosso povo.  No momento, nossas homenagens aos moradores da Colônia Antonio Aleixo, Zona Leste de Manaus, em particular, a Dona Maria do Carmo Amorim Sanches (foto), que apesar de suas limitações físicas, não mede esforço de participar das incursões pelo complexo do Encontro das Águas, identificando as ameaças que pairam contra esse bem de valor incomensurável.

Maria do Carmo Amorim Sanches, que aniversariou no dia 02 de junho, completando 79 anos, é uma das nossas homenageadas pelo dia internacional do meio ambiente. É bem verdade que nela depositamos todo nosso afeto e reconhecimento, agregando valor e respeito pelos que resistiram em defesa das garantias ambientais do Lago do Aleixo que é um dos braços do corpo do Encontro das Águas.

Da mesma forma, estendemos o nosso reconhecimento ao pesquisador e fotógrafo Valter Calheiros, que pela sua competência e habilidade tem recortado belas imagens (ver fotos) que servem de documentos etnográficos para sustentação da defesa do patrimônio Encontro das Águas. O trabalho desse pesquisador e fotógrafo do Movimento S.O.S Encontro das Águas é mais do que um feito, é luz sinérgica a mobilizar força para garantir o pulsar da vida num território ameaçado, que requer de imediato reação contrária, fincando a esperança num mundo ambientalmente justo e economicamente sustentável. Nossas homenagens a todos e todas que contribuíram e contribuem para a garantia efetiva de Tombamento do nosso Encontro das Águas como patrimônio cultural nacional. O desfecho desta luta, contrariando a vontade do governador do Estado e dos arrivistas locais, encontra-se em disputa em Brasília, aguardando o julgamento dos doutos para garantir o Tombamento definitivo do Encontro das Águas.

0 comentários:

Postar um comentário