sábado, 14 de julho de 2012

Projeto Jaraqui tem que virar piracema

1 comentários

Um espaço para lutar por justiça e liberdade! Manifestação dos Professores da UFAM.

Não esqueça, você pode não ter vez na ALE ou na CMM, mas no Projeto Jaraqui, você tem voz. Você é o povo do Amazonas. E como tal, tem compromisso histórico com a liberdade. Participe e bote a boca no trombone. A Constituição, o Ademir e o Paulo, garantem.

É uma pena, ver o Paulo Onofre e o Ademir Ramos, hasteando a bandeira da liberdade em plena Praça da Polícia, e sempre aqueles minguados participantes do democrático evento, como a Georgina, a Socorro Papoula, o Henrique Melo, o professor Mitoso, e outros parcos sobreviventes revolucionários presentes.

O povo, passa alheio ao único portal vivo da Amazônia, e nada diz ou pede, nem reclama nada, parecendo até que está no paraíso de uma cidade rica cercada de miséria por todos os lados.

Manaus tem bairro com casa de papelão e telhado de saco de lixo, e já é notório se ver morador de rua comendo lixo, em pleno centro da cidade.

Outra coisa: de vez em quando, aparece uma mulher nua, deficiente mental, desfilando pela 7 de setembro, sob os olhares de todos, inclusive dos turistas que ficam boquiabertos. Será que teremos tais espetáculos insalubres em plena Copa do Mundo? Calamos.

O povo amazonense parece que perdeu a saga indômita quando em 1924, cercou o navio com canoas e lamparinas, impedindo o governo federal de matar o revolucionário tenente Ribeiro Junior. E só saiu desse cerco histórico, quando pela manhã o dito e popular tenente, acenou do convés mostrando ao povo manauara que estava vivo.

Ninguém ensina nas escolas, esse momento maior da nossa história amazonense. Falei isso num programa da Tv Cultura, como também pedi à Secretária de Cultura, a criação de uma cartilha do Ensino Regionalizado. Nada foi feito. Ainda hoje os livros falam de polenta, na terra do beiju. Como também receitam catchup, para comer com desfiado de pirarucu, na terra do Tucupi e do Jaraqui.

E por falar em Jaraqui, convido a população para falar aos sábados a partir das 9 horas, no Projeto Jaraqui, que acontece na Praça da Polícia em frente ao Café do Pina denuncie, grite, xingue o político ladrão, mas diga alguma coisa, pelo amor de Deus. Povo que fica calado, leva porrada, não esqueça disso. E tem mais uma coisa, quem cala, consente.

Não esqueça, você pode não ter vez na ALE ou na CMM, mas no Projeto Jaraqui, você tem voz. Você é o povo do Amazonas. E como tal, tem compromisso histórico com a liberdade. Participe e bote a boca no trombone. A Constituição, o Ademir e o Paulo, garantem. Venha e não esqueça de convidar o Pancho Villa e o Zapata. O resto vem junto.

Alexandre Otto,
é poeta, e membro
do Clube da Madrugada.

1 comentários:

Montezuma disse...

Abraço-lhes pela chama acesa, pelo querer, pelo poder de ainda ter consciência, e desta, levar o grito dos desvalidos e de todas as pessoas dispostas a combater a bandalheira na política partidária e no mando destrabelhado. Isso não se resume ao Amazonas, mas estende tentáculos por todo o País. Viva o Projeto Jaraqui!

Postar um comentário