sábado, 7 de julho de 2012

Servidores públicos definem calendário de luta com atos nos estados, marcha e acampamento em Brasília

0 comentários

Brasília – Contra a intransigência do governo em não reabrir a negociação com os setores do funcionalismo  público, servidores em greve prometem intensificar ainda mais as mobilizações neste mês de julho. A categoria promoverá diversas atividades com mobilizações nos estados, acampamento e marcha dos servidores em Brasília.

Nesta terça-feira (3) o Comando Nacional de Greve dos estudantes também realizou atividade nos estados em conjunto com o funcionalismo público. (saiba mais aqui)

Os docentes das universidades Federais em unidade com os professores, técnicos-administrativos e estudantes das Instituições Federais de Ensino (IFE) já deram o ponta pé inicial nas atividades e realizaram um café da manhã em frente ao Ministério do Planejamento nesta segunda-feira (2) e se somou a atividade do Comando Nacional da Greve dos Estudantes nesta terça-feira (3).

As mobilizações não param por aí.  De 9 a 13 de julho diversas categorias, organizadas pelo Comando de Greve, promoverão atividades conjuntas no Distrito Federal. Essas ações vão se combinar com mobilizações unitárias realizadas em todo país.

Os servidores vão tomar novamente as ruas de Brasília numa nova marcha que será realizada no dia 18 de julho.

Um Acampamento Unificado da Greve Nacional dos Servidores Federais em Brasília também está sendo organizado pela categoria de 16 a 20 de julho.

Esse calendário de luta foi definido na última reunião do Fórum Nacional das entidades do funcionalismo federal, realizada no dia 26 de junho. Segundo o  relatório, divulgado pelo órgão, o governo não apresentou qualquer perspectiva de abertura de diálogo com  o movimento grevista. Por isso, a análise feita pelas entidades presentes é da necessidade de fortalecer as ações do movimento grevista e ampliar a paralisação.

Balanço das greves – A paralisação nas Universidades Federais, iniciada em 17 de maio, já abrange 57 das 59 Universidades e 37 Institutos Federais. Esses docentes têm realizado diversos atos e manifestações em Brasília e nos estados em busca da abertura de diálogo com o governo, interrompida no dia 19 de junho.
Os servidores da base da Fasubra estão parados há mais de 20 dias, com adesão de 56 instituições e também realizam um processo intenso de lutas.

A greve dos servidores da saúde, organizados pela Fenasps, teve início em dia 20 de junho e o  processo de adesão  ao movimento que cresce a cada dia.

A greve dos servidores da base do Sinafese conta com 183 campi paralisados.

Todos esses servidores estão fortalecendo suas lutas unificando as atividades e calendário de mobilizações.

Veja a íntegra do relatório das entidades aqui

Fonte: CSP-Conlutas

0 comentários:

Postar um comentário