sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Brasil – um país de muito discurso e pouco conhecimento

1 comentários
Pergunta feita por Professor da matéria Termodinâmica, no curso de Engenharia química da UFBA em sua prova final. "O inferno é exotérmico ou endotérmico? Justifique sua resposta." Fonte: Dennys Reis

Ellza Souza (*)
Fonte: NCPAM

A reportagem do jornal Amazonas em Tempo de Ive Rylo do dia 15 de agosto http://www.emtempo.com.br/ reforça tudo o que a gente já sabe: a educação no país não é realmente prioridade. Então está explicado o aumento da violência entre os jovens, a desqualificação dos políticos, a precariedade de todo e qualquer serviço público e agora contaminando as empresas privadas. Esse mal pega e não tem vacina contra. A foto da matéria é degradante mas pertinente e mostra a realidade da situação a que foi jogada a nossa escola pública que um dia deu de dez na “privada”.

Vários crimes foram aí cometidos. O principal é o desperdício do dinheiro público que leva ao descaso com os alunos, com os livros, com os pais, com a sociedade em geral que fica à mercê dos maus políticos que querem é isso mesmo: povo sem instrução para não reinvindicar nada. Os livros, a leitura, o saber, estão jogados nas escolas municipais que tem como administradores não professores competentes mas apaniguados políticos sem nenhum compromisso com a boa educação. Quem não estudou, quem não lê, não tem o que passar aos jovens.

Muitos gestores se limitam aos eventos, à aparência, à propaganda dos feitos (ou mal feitos), ao seu próprio bem estar. Isso é na capital e no interior. Ver os livros jogados na privada servindo de papel higiênico a pessoas, coitadas, sem instrução para entender o pecado daquilo, é lastimável e de fazer corar qualquer cidadão decente. As reformas das escolas são feitas durante o ano letivo e assim jovens e crianças vão aprender outras lições na rua, com os marginais, que estão aí, disponíveis, só esperando os alunos desamparados pelas autoridades. E os governos devem pensar: ah mas todos já recebem bolsa escola, bolsa família, bolsa floresta, bolsa moradia.

Tudo isso vai para o bolsão da miséria fazendo enriquecer alguns (aliás muitos por esse Brasil afora) com suas pastas, cuecas, paraísos fiscais, muito bem nutridos e o povo fica aí abandonado, achando que tem tudo e não tem absolutamente nada. Nem um livrinho pra ler quanto mais uma boa biblioteca para as suas pesquisas e crescimento intelectual.

 Só muita cera com areia para passar na cara de pau dos maus políticos. A foto da matéria de Ive é a visão do inferno. Todos devem colocá-la no quadro para observação e indignação. A violência atinge a todos. Até políticos encastelados no poder.

(*)  É escritora, jornalista e articulista do NCPAM/UFAM.

1 comentários:

Carlos Costa disse...

Vai de encontro à crônica PACTO DE MEDIOCRIDADE NA EDUCAÇÃO BRASILEIRA! publicada no blog carloscostajornalismo.blogspot.com

Postar um comentário