terça-feira, 18 de setembro de 2012

Convicção Socialista: o fator decisivo!

0 comentários

Por socialistalivre
Não existe apenas uma forma de organizar os militantes políticos que lutam pelo socialismo, crer nisso é uma miopia política. Qual o ponto mais importante que antecede à forma de organização? A CONVICÇÃO SOCIALISTA. E isso tem sido esquecido! As organizações da esquerda socialista tem tentado várias formas de organizar os trabalhadores e os lutadores, seja em organismos de Frente Única, seja em correntes centralizadas, seja em partidos com tendências, e nessas tentativas de organização muitas vezes perdem o foco, esquecem-se de que organizam SERES SOCIAIS COM CONVICÇÕES SOCIALISTAS e não tábulas rasas.

A maior ilusão das correntes políticas de esquerda é achar que os militantes que ali se organizam são seres sociais desprovidos de CONVICÇÕES SOCIALISTAS. Fica parecendo que os GURUS do partido ou das correntes é que lhes vão dar essa CONVICÇÃO. Quando, na verdade, todo lutador, quando escolhe lutar pela primeira vez, somente o faz, porque constroi em si a convicção de que algo precisa ser feito para mudar determinado estado de coisas ou talvez até mudar o mundo. E é isso que o faz se aproximar de uma organização política ou não. Não é a organização política que o seduziu com seus poderes políticos mágicos. Ao contrário, foi sua CONVICÇÃO POLÍTICA, sua tomada de posição na luta de classes que o fez se encaminhar até a uma organização X ou Y.

Face a essa constatação, enquanto Socialista Livre, queremos discutir esse ponto cego dos Socialistas. Na verdade, em nosso ponto de vista, para a construção da Revolução Socialista, não importa em qual fôrma esteja enquadrado-organizado o militante socialista, não é a fôrma que é determinante. Não é a fôrma de bolo em si que alimenta os famintos, mas o próprio bolo: a fôrma é apenas o espaço em que o bolo se acomoda, tanto faz se é uma forma redonda, quadrada, triangular, etc, os ingredientes corretos do bolo é o que o fazem ser bolo e não lasanha, por exemplo .

Por que estamos fazendo essa metáfora da fôrma do bolo? Porque para nós, Socialistas Livres, a fôrma partidária em que se acomodam os militantes socialistas não é o fator decisivo, se a fôrma partidária fosse decisiva, militantes não entravam e saíam das organizações da esquerda como água da peneira, tenho visto isso acontecer ao longo da minha vida militante todos os dias. As diversas fôrmas partidárias da Esquerda Socialista ficam disputando entre si quais delas assam melhor o bolo, quais delas controlam melhor o bolo e se esquecem do fundamental, OS INGREDIENTES DO BOLO É QUE FAZEM UM BOLO SER BOLO.

O que isso tem a ver com a organização dos militantes socialistas? Tem a ver que o mais importante de tudo, na organização dos militantes socialistas, trata-se de cultivar a CONVICÇÃO SOCIALISTA já existente nos militantes. Convicção não se ensina, convicção não se impõe, convicção se constrói e se cultiva em cada corpo-social-consciente, quando se toma posição na luta de classes. Cultivar a convicção dos lutadores, portanto, não é tratá-los como tábulas rasas, ao contrário, trata-se de permitir que os lutadores cresçam, trata-se de permitir que os lutadores sejam criativos, trata-se de permitir que os lutadores exerçam todo o seu potencial político, trata-se de permitir que os lutadores exerçam sua postura crítica, trata-se de permitir que os lutadores aprendam, acertando e errando na luta de classes.

Sob esse ponto de vista, portanto, ao invés das fôrmas partidárias ficarem disputando entre si qual delas é a melhor, ou como controlam melhor os seus militantes, deveriam estar ajudando umas as outras a criar espaços cada vez mais amplos para permitir que todos os lutadores socialistas organizados no movimento operário fossem cada vez mais criativos, mais engajados, mais críticos, mais generosos, mais ousados, mais responsáveis, mais estudiosos, mais carismáticos, mais convictos de que a luta operária é o único caminho para mudar o mundo.

Nós, socialistas livres, temos a seguinte CONVICÇÃO SOCIALISTA: não existem duas classes trabalhadoras, existe apenas uma classe trabalhadora que deve construir o Socialismo com Democracia e Liberdade, portanto, não faz sentido ficar dizendo para essa classe operária que existe apenas uma FÔRMA POLÍTICA ADEQUADA PARA ORGANIZÁ-LA. É muita pretensão hierárquica. Mas faz total sentido dizer para essa classe operária que existe apenas um projeto a ser realizado para libertá-la: O SOCIALISMO!

Se existe apenas um projeto, o socialismo, o decisivo então é incentivar os diversos militantes da classe trabalhadora a tão simplesmente permanecer firmes no projeto de que mudar o mundo é possível, construir o socialismo é possível, libertar nossa classe da exploração e da opressão é possível, tomar o poder para os trabalhadores é possível, desde que cada lutador ou lutadora jamais desista.

Nós, socialistas livres, militamos, então, em nome dessa CONVICÇÃO SOCIALISTA. E o eixo dessa convicção passa pela seguinte compreensão: na luta de classes só existem dois caminhos – ou você está do lado da reprodução das relações de produção, ou seja, do capitalismo, ou você está do lado da transformação-revolução das relações de produção, isto é, do lado do socialismo. Ou você ajuda o capitalismo ou você tem CONVICÇÃO SOCIALISTA inabalável, e sempre seguirá firme na luta dos trabalhadores, não importa se você esteja em uma fôrma partidária x ou y ou z ou nenhuma.

Ajudar a cultivar a CONVICÇÃO SOCIALISTA de outros companheiros e companheiras é o fundamental e o fator decisivo na luta de classes. Nós, socialistas livres, seguimos firmes na luta pelo socialismo porque temos essa convicção, e assim sempre estaremos nas batalhas necessárias e nunca fugiremos delas. Portanto, nós, socialistas livres, não precisamos de FÔRMAS políticas para seguir na luta, apesar de também apoiarmos as diversas fôrmas partidárias da esquerda socialista revolucionária. Mas que fique claro: nunca apoiamos fôrmas pelo fato de serem fôrmas, isso é fanatismo político-religioso, apoiamos as propostas programáticas corretas que veiculam no interior das fôrmas socialistas, pelo teor de suas propostas e não pelo símbolo x ou y da fôrma, pois, em nosso ponto de vista, o que importa é batalhar pela revolução-transformação das relações de produção e não simplesmente fazer seguidismo a uma corrente x ou y.

Esse é nosso jeito: apostamos na parte esquecida da revolução, apostamos no cultivo das CONVICÇÕES SOCIALISTAS dos lutadores e lutadoras da classe trabalhadora, com generosidade, democracia operária e liberdade de crítica. Esse Blog é um Blog da teimosia socialista CONVICTA. Um SOCIALISTA LIVRE CONVICTO nunca está dentro de um partido, ao contrário, ele pode escolher ter um partido dentro de si ou até mesmo mais de um partido dentro de si. Percebem a sutil diferença? Por isso afirmamos a tese escandalosa aos leninistas-trotskistas de que “a Revolução é o que nos Centraliza”, direções do partido x ou y ou z não nos silenciam, não calam nossa voz, não fazemos coro com equívocos jamais. Se as propostas programáticas são coerentes e corretas, estamos também com os leninistas-trotskistas, mas se não estiverem, nem o diabo nos silencia: os partidos ditos leninistas-trotkistas não aceitam, na prática, que existam Socialistas Livres em seu meio. Querem corpos dóceis e obedientes aos erros de suas direções. Os Socialistas Livres dão muito trabalho a direções hierárquicas que preferem impor, ao invés de dialogar.

Aqui está nossa rebeldia Socialista Livre: os dirigentes das fôrmas partidárias não nos dominam, quando achamos que eles estão tomando caminhos equivocados, quando achamos que eles estão “envenenando” o bolo, levantamos nossa voz e defendemos nossas convicções socialistas custe o que custar. Chamam-nos, então, de individualistas, quando somos rebeldes. Eles não nos entendem. Somos livres e sempre militamos porque escolhemos militar baseado em nossa CONVICÇÃO SOCIALISTA, não militamos porque temos gurus ou chefes. Não é a fôrma que nos guia, é  A NOSSA CONVICÇÃO SOCIALISTA! É O PROJETO REVOLUCIONÁRIO!

0 comentários:

Postar um comentário