sábado, 13 de outubro de 2012

Consumismo: o grande motor da insustentabilidade…

0 comentários

Hoje é Dia das Crianças! Às crianças, de idade ou espírito, que leem nosso blog, que mantenham acesa a esperança e força de vontade da juventude.
Infelizmente, o dia de hoje (que não é feriado pelas crianças, mas sim pelo dia da padroeira do país, Nossa Senhora Aparecida) é mais uma data em que o mercado acaba de alguma forma distorcendo a seu favor. Particularmente, acho que é a pior delas – no sentido do público alvo. São milhões e milhões gastos em propagandas com o objetivo de causar o desejo nos pequenos. Em muitos países há leis severas à publicidade infantil. O Brasil ainda sofre com a falta de regulação, mas há avanços. Como, por exemplo, a proibição dos apelos “eu tenho, você não tem”, “compre batom” e “peça para mamãe comprar”.
Em junho, quando fui ao Rio de Janeiro participar da Rio+20, participei de uma palestra sobre criança e consumo. Lá, encontrei o Felipe Valente, estudante de Relações Internacionais, e Mikael Peric, do Instituto Alana, com quem conversei sobre a insustentabilidade do consumismo desenfreado. O vídeo abaixo, “Uma Conversa sobre Consumismo: o grande motor da insustentabilidade” é resultado dessa conversa. Apesar do tamanho, assistam, vale a pena conferir o show de conhecimento e as relações que fazem o Felipe e o Mikael! Confira:

Então, você acha justo que milhões de reais sejam investidos em propaganda infantil estimulando desde cedo as crianças a serem consumidoras e contribuir para a degradação do planeta? Que sua criança seja exposta a dezenas de propagandas de produtos supérfluos a cada manhã que passa na TV? Muita gente não acha! E, por isso, está lutando para mudar esse quadro. Uma delas é o Instituto Alana, que desenvolveu a publicação “O que fazer para proteger nossas crianças do consumismo“. Vale a dica!
Outra organização lutando pelos direitos das crianças e adolescentes é a CESE (onde eu trabalho rs). São 40 anos, 568 projetos nessa área e mais de 360 mil crianças beneficiadas! Quer conhecer melhor o trabalho da CESE? Acesse: www.cese.org.br

0 comentários:

Postar um comentário