quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Prosa por Manaus

1 comentários

PROSA POR MANAUS

Parentes desta capital
o sorriso me denuncia,
sou caboclo do interior,
mas, por Manaus tenho amor.

Depois de Urucurituba,
Manaus é meu Deus acuda,
sou caboclo, sou do mato,
sou Manaus em todo ato!

Sigo os passos de Ajuricaba,
caminho nas ruas e nos matos,
pego o remo e a canoa
navego nos rios adentro...
mas, quando estou em Manaus,
encontro o meu alento.

Manaus sonho, realidade e saudade,
caminho da prosperidade,
casa que a todos acolhe,
mundo de felicidade,
e este caboclo todo prosa,
ama-te de verdade!

Elson de Melo
Não é poeta...

Parabéns Manaus pelos seus 343 anos de existência... Feliz Aniversário e... Prosperidade Sempre!

1 comentários:

José Ribamar Mitoso disse...

Elson, Ajuricaba foi um líder dos povos da família linguística Arawak! Porém, seu nome, Ajuri-caba, é de origem Tupi-Nheengatu: Casa de caba, mutirão de caba, junção de caba...
Ajuricaba é uma tradução do Arawk para o Tupi... Não é o nome verdadeiro. Daí que é melhor evitarmos reproduzir esta imprecisão e este golpe na identidade da cidade e do Rio Negro. E , quanto ao seu poema, a poesia não tem dono e nem fita métrica do preconceito para se dizer com precisão: isto é poesia e isto não! Isto na verdade é uma pretensao classista em desqualificar um poema de uma classe ou grupo social para valorizar o de outra clase! Não caia nesta cilada

Postar um comentário