terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Comandante da Policia Militar em Parintins agride fisicamente ex-candidato a Prefeito do PSOL

0 comentários

Recebemos e publicamos o expediente abaixo enviado por Dietrich Esmaile Teixeira Mendes, ex-candidato a Prefeito de Parintins pelo PSOL, onde o mesmo relata as agressões que sofreu durante o Carnailha. As referidas agressões foram praticadas pelo comandante da Policia Militar no Município Major Valadares Pereira Júnior. 

Confira os relatos...

Olá, meu amigo.

Preciso da sua ajuda.

Publique na IMPRENSA LIVRE e outros meios de comunicação, que a guarda municipal do atual prefeito, Alexandre da Carbrás, atacou brincantes, tomando as faixas de protestos referente ao aumento abusivo dos vereadores, prefeito e secretários. Para piorar, o atual comandante da PM cometeu o crime de constrangimento ilegal, no qual me ameaçou e me agrediu, de forma covarde, conforme publiquei, no meu facebook, a seguir:

Eu há muito tempo não participo de um carnaval, mas este ano fui convidado, através da Comissão Apartidária e Permanente de Mobilização - C.A.P.M. - a participar do bloco “NÓS PROTESTA, MAS NÓS SE DIVERTE”, no Carnailha, pois como o próprio nome diz, é um meio pacífico que os cidadãos e as cidadãs conscientes e, fiscais do erário público encontraram para demonstrar a indignação, de forma alegre, sobre o aumento abusivo dos salários dos vereadores, prefeito e seus secretários, inclusive, de conhecimento de todos os meios de comunicação de Parintins.

O domingo (10/02) é o dia dos irreverentes, ou seja, dia livre para a população brincar com a fantasia que melhor lhe convir. Eu estava fantasiado de político Ali babá e entregava, juntamente, com os demais participantes da C.A.P.M., um minúsculo panfleto à população, com os seguintes dizeres:

“Você concorda com o aumento abusivo do salário do prefeito de Parintins, secretários e vereadores?”

“Você sabia que o salário do prefeito de Parintins é maior que o do prefeito de Manaus?”

“Você acha justo que um funcionário público receba entre 1 e 2 salários mínimos enquanto um vereador recebe mais de 7 mil reais?”

“Participe deste protesto conosco.”

“Vamos mostrar nossa insatisfação e fazer valer nossa Cidadania.”

Para minha surpresa, no meio da “Paraíba do samba” - mesmo com a reciprocidade do público - fui constrangido, ameaçado e, covardemente, agredido fisicamente, com uns 3 (três) tapas, do lado direito das minhas costas, por um homem (de roupa comum), que se encontrava do lado de fora do desfile, de baixo do camarote do prefeito Alexandre da Carbrás.

As palavras do referido senhor: Que palhaçada é esta?

Respondi: É o livre direito de expressão.

As palavras do referido senhor: É com você mesmo que eu vou acertar. Passa de novo, por aqui, que você vai ver se não vou lhe prender!

Respondi: Você quer que eu volte? Eu vou voltar.

E, quando me virei para seguir no bloco, este senhor me agrediu, covardemente, com uns 3 (três) tapas nas costas e, para piorar, tomaram o meu cartaz que era uma nota de 100 reais, com a frase: “VALE-VOTO” - de aproximadamente, 30 (trinta) centímetros X 15 (quinze) centímetros.

Agora, a pergunta que não quer calar:
Quem é este ameaçador e agressor senhor?

Este senhor é, simplesmente, o mais novo comandante do Batalhão de Parintins que o prefeito - Alexandre da Carbrás - trouxe para substituir o honrado Comandante Túlio.

Quero exteriorizar o meu repúdio a qualquer tipo de violência, a qualquer tipo de criminalização aos movimentos sociais e, principalmente, a possível institucionalização de capangas, em Parintins.

Não estava, in loco, como político do Partido Socialismo e Liberdade - PSOL - adversário do atual prefeito, contudo, como ordeiro cidadão, brincante, praticando, com muitos outros - como bem detectado, pela imprensa local - a pacífica cidadania.

Declaro a todos que este policial militar, ao invés de cumprir ordens de quem lhe trouxe nos braços - o prefeito - para o nosso município; deveria estar aqui para servir, com decência e com equilíbrio, o cidadão de bem, que paga os estratosféricos tributos para o Estado do Amazonas manter-se adimplente com o salário destes que, ao invés de mitigar direitos, deveriam nos proteger.

Ao novo comandante - Srº Valadares - saiba que o abuso de poder (gênero) que cometeu terá várias consequências, inclusive no Judiciário. Lamentavelmente, não respeitou a farda, nem a imagem da instituição Polícia Militar do Estado do Amazonas.

Torno público, neste momento, que qualquer coisa que aconteça comigo ou com a minha família, a solidária responsabilidade é toda do prefeito de Parintins, Alexandre da Carbrás e, do governador do Estado do Amazonas, Omar Aziz.

Podem tentar forjar, simular ou dissimular contra a minha pessoa.

Não tenho vícios. Sou respeitado, por muitos adversários. As mídias e, até a Justiça de Parintins, já conhecem da minha conduta, do meu caráter, como político ou como cidadão, o homem honrado que busco ser todos os dias.

Vivo - dignamente - para minha família, para a educação, conscientização e, por conseguinte, para a qualidade de vida do nosso povo, através de cidadania.

Muitos sabem da minha luta, por CIDADANIA, nesta terra que tão bem me acolheu, há quase 10 (dez) anos cujo objeto é a sonhada e possível paz social.

Vocês podem, sim, calar o sistema midiático de Parintins, sobre o fato, mas só vão me calar se ceifarem a minha vida!!!

Dietrich Esmaile Teixeira Mendes
Cidadão brasileiro

0 comentários:

Postar um comentário