terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Agropecuária Jayoro é condenada pelo TRT a pagar Horas in itinere a funcionários que recorreram a Justiça

2 comentários
Condenada na primeira e segunda instancia da Justiça do Trabalho, a empresa Agropecuária Jayoro em Presidente Figueiredo(AM), subsidiaria da Coca-Cola, está agora assediando os trabalhadores para fazerem um acordo num valor muito abaixo ao que ela foi condenada a pagar aos seus trabalhadores reclamantes.

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Amazonas, esclarece que há tempos vem tentando que a empresa cumpra  o que manda a lei e pague as horas referentes ao tempo que o trabalhador leva em deslocamento entre residência e empresa e vice-versa, no entanto, a Jayoro vem sistematicamente burlando a lei.

No inicio do ano passado, os trabalhadores, aprovaram em Assembléia que estavam dispostos a recorrerem a Justiça para que a mesma determine que a Jayoro efetue o pagamento das horas in itinere, fato que realmente aconteceu.

Por ocasião da audiência em primeira instancia em Presidente Figueiredo, a Jayoro não aceitou as propostas conciliatória apresentado em audiência, movido pela possibilidade de continuar impune, a direção da Jayoro orientou seus advogados a recorrerem para o Tribunal Regional do Trabalho-TRT 11º Região em Manaus.

Os recursos foram julgados e os Desembargadores mantiveram as decisões da Juíza de Presidente Figueiredo, para onde os Processos deverão voltar para que sejam executadas as sentenças.

Agora a Jayoro está mandando um funcionário aliciar os Trabalhadores que ganharam a questão oferecendo um valor muito inferior ao que a empresa foi condenada.

O Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação do Amazonas alerta os trabalhadores que, aguardem a liquidação das sentenças, uma vez que a empresa está descumprindo um dispositivo legal e por conta disso a mesma foi condenada e sentenciada a pagar aos seus funcionários que recorreram a Justiça, para muitos o equivalente a cinco anos de horas extras. As indenizações variam ente R$ 8.000,00 (oito mil reais) a R$ 62.000,00 (sessenta e dois mil reais) em média, portanto os Trabalhadores não devem aceitar mais nenhuma proposta de acordo vindo da Jayoro.

A hora int itinere está na Pauta de Reivindicação que os Trabalhadores aprovaram para o novo Acordo Coletivo de Trabalho que deveria começar em 01 de janeiro deste ano, porém a Jayoro até o presente momento, sequer manifestou interesse em começar as negociações, embora a minuta esteja nas mão dos representantes da Jayoro desde dezembro do ano passado (2013), concluiu José soares de Abreu Presidente do SINTAM.

Fonte: SINTAM - Sindicato dos Trabalhadores nas Industrias de Alimentação do Amazonas

2 comentários:

Dario Alves disse...

parabéns companheiro Elson Melo, pela sua luta em prol dos trabalhadores de Pres Figueiredo.

Dario Alves disse...

Estamos acompanhando esse desenrolar...o trabalhadores estão de parabéns por ter uma Sindicato tão Combativo...firme na Luta companheiros.....

Postar um comentário