segunda-feira, 4 de junho de 2018

Caos em Manaus: NOTA

0 comentários

Da Redação
Manaus – 04/06/2018
Ao Povo e Motoristas, a Razão.
Aos governantes, o repúdio e desprezo.

Foto: Indiara Bessa-Rede Amazônica 
Sem transporte coletivo publico o povo se revolta e promove manifestações pela cidade, quebra e incendeia ônibus, de quem é a culpa?

Toda vez que o governante ignora a realidade de um povo, está fadado a levar os governados a se manifestarem da forma mais incontrolável possível.

O prefeito Arthur Neto-PSDB ao escolher o lado dos empresários de transporte de passageiros e ficar contra os motoristas e cobradores em greve há séte dias, levou a população de Manaus ao esgotamento de toda paciência que lhe é peculiar e a mais profunda indignação.

Na manhã desta segunda-feira (04/06) o povo da Zona Leste e da Zona Norte da capital amazonense, não suportaram o caos que o prefeito Arthur-PSDB levou a cidade, rompeu o silencio da forma mais rude possível, ao ficarem sem transporte coletivo por seis dias, não lhes restaram alternativa a não ser, aprofundar o caos, quebrando e incendiando ônibus, cujos empresários além de caloteiros por não recolherem os encargos trabalhistas dos seus funcionários (INSS e FGTS) se valem dos movimentos paredistas da categoria para, conseguirem impor mais reajustes altíssimos nas tarifas da passagem de ônibus.

É bom lembrar que, somente em 2017, esses empresários receberam dois reajustes na tarifa de transporte, enquanto os motoristas e cobradores amargam dois anos sem verem seus salários reajustados.

O prefeito Arthur-PSDB ao ficar ao lado dos empresários buscou a justiça como escudo para humilhar os motoristas e cobradores, criminalizando a Greve e impor multas exorbitantes sem o menor amparo legal a não ser o juízo de valor do magistrado que a concedeu, no entanto, esqueceu-se do seu papel de gestor publico, que é dever do Município através do prefeito, garantir a população os meios de transporte públicos nos termos dos contratos de concessão composto através de certame cujo cumprimento por parte do contratado, deve ser observado fielmente ao que prevê a legislação dos serviços essenciais, ou seja, o prefeito Arthur-PSDB ao não impor aos empresários os ditames legais, prevaricou e deve ser responsabilizado por isso.  

Já o governador do Estado Amazonino Mendes-PDT, preferiu lançar mão do seu autoritarismo histórico, mandou a policia militar baixar a pancada na população sem se importar com a vida de crianças, idosos e tantas outras pessoas que transitavam nas ruas de Manaus. Amazonino-PDT, perdeu uma grande oportunidade de agir como mediador de um conflito que o prefeito Arthur-PSDB por pura negligencia, arrogância e conivência com os empresários, não foi capar de dirimir.

Dessa forma, o culpado principal pelo caos que Manaus se encontra, é do prefeito Arthur Neto-PSDB e o responsável principal pelo flagelo e espancamento sofrido pela população de Manaus na manhã desta segunda-feira (04/06) é o governador Amazonino Mendes que preferiu se omitir de promover a mediação entre as parte e mandou a policia militar espancar o povo nas ruas de Manaus.

Ao povo e motoristas a razão, aos governantes cafajeste Arthur-PSDB/Amazonino-PDT o desprezo e o repúdio pelos seus atos covardes e desonestos contra as categoria dos motoristas e cobradores e o espancamento ao povo de Manaus.  

Diante de tanto truculência dos governantes que preferiram levar Manaus ao caos a buscarem uma solução mediada entre motoristas aviltados e empresários aviltantes. Repudiamos veementemente os atos de Judicialização de má fé do prefeito Arthur-PSDB e empresários, bem como o espancamento que a policia militar promoveu contra o povo a mando do governador Amazonino Mendes-PDT.

Os Editores  

0 comentários:

Postar um comentário